Empresas dos Cameli mantêm portas abertas durante a pandemia

Vem que tem!

Proprietários de supermercados, empreiteiras, postos de combustíveis, emissora de rádio e TV e lojas de material de construção civil, os parentes do governador Gladson Cameli não foram importunados pelos decretos emergenciais que restringiram no Acre as atividades comerciais.

All Open

Os negócios da família continuam a abrir normalmente na segunda maior cidade do Acre. E para isso contaram até com uma ajudazinha do prefeito Ilderlei Cordeiro.

Decreto

No final de março, Ilderlei assinou decreto (leia aqui) que permitiu o funcionamento normal das empresas do ramo de construção civil no município. Isso manteve grande parte das empresas da família Cameli com as portas abertas.

Exceção

Em abril, o prefeito da vizinha Mâncio Lima, Isaac Lima (PT), deu mais um empurrãozinho: ao proibir a locomoção de pedestres e veículos (públicos ou particulares) na Rodovia AC-405, criou uma exceção àqueles que estivessem transportando, entre outros itens, combustíveis ou material de construção. (Veja aqui o documento).  

Prejuízo só pros pequenos

Conversei nesta quarta-feira (1º) com um comerciante cruzeirense que confirma o funcionamento normal das empresas dos Cameli. Segundo afirmou, os grandes empresários da região não sofreram restrições decorrentes do decreto de isolamento social. “A medida só tem prejudicado os pequenos”, lamenta ele.

Pilatos

A propósito, deplorei a escolha do Sr. Gladson em atribuir aos prefeitos a decisão pela reabertura do comércio. Como Pilatos, ele lavou as mãos.

Foto: internet

Questão de ordem

Se na hora de mandar baixar as portas, Gladson tomou a responsabilidade para si, deveria ter o mesmo pulso firme no momento de confirmar ou não a reabertura do comércio.

Torre de Babel

As desavenças dentro do Progressistas seguem ante a indefinição em torno da candidatura de Ilderlei Cordeiro à reeleição. Sobre o assunto, cada um fala uma coisa diferente. E haja ‘fake news’ quase todo santo dia na imprensa.

Saco de pancadas

O senador Sérgio Petecão (PSD) foi o único dos senadores eleito pelo Acre a votar a favor da PL das Fake News. Desde que sua posição veio a público, na noite de terça-feira (30), ele não para de apanhar nas redes sociais.

Foto: internet

Tomou Doril

A senadora Mailza Gomes (Progressistas) puxou o freio de mão após um começo promissor. Pouco se ouve falar de suas ações no Senado. E quando há alguma notícia, é o chamado ‘miolo de pote’.

Nem Freud explica

Não dá pra entender o funcionamento de algumas empresas no Acre. Tem uma, do ramo de comunicação, que presta serviço de divulgação a um deputado federal pelo valor de R$ 1 mil por mês. A mesma firma, porém, cobra R$ 10 mil de outro parlamentar federal pelo mesmo serviço.

Perdulários

A propósito, levantamento feito por este site na prestação de contas dos deputados federais revelou que Mara Rocha (PSDB) e Jesus Sérgio (PDT) foram os únicos da bancada federal acreana na Câmara que aumentaram gastos neste período de pandemia.   

Made in Brazil

O pior é aguentar os ‘aspones’ argumentando nas redes sociais que se eles gastam o dinheiro público é porque estão produzindo. Só no Brasil tem dessas coisas!  

Tá na rede

Leio que o governador Gladson Cameli ameaça exonerar as turmas do MDB e PSDB por conta de insubordinação política. Algo relacionado com a aliança para a prefeitura de Cruzeiro do Sul.

Como é que é?

Pra começo de conversa, nem o partido de Gladson definiu ainda uma pré-candidatura na capital do Juruá (leia mais aqui). É um puxa-encolhe sem fim em torno do prefeito Ilderlei Cordeiro.

Infiel

Tem mais: nem o próprio Gladson consegue se manter fiel ao seu partido na capital. Com o nome de Tião Bocalom posto na mesa da disputa eleitoral em Rio Branco, Gladson se derrete em declarações favoráveis à prefeita Socorro Neri (PSB).     

Pimenta no dos outros é refresco!

Nesse cenário, como exigir que os aliados façam aquilo que o PP ou Gladson não conseguem fazer?

Matemática do desejo

O PT, no final das contas, decidiu lançar o deputado estadual Daniel Zen para a prefeitura de Rio Branco. E os companheiros já fazem a seguinte conta: se Zen ficar em terceiro lugar na disputa, a sigla consegue voltar ao poder em 2022. Sei não…

Foto: internet

Explicação necessária

Por conta da pandemia, esta coluna entrou em quarentena. A ideia era colocar o pescoço pra fora do casco só após a passagem do coronavírus. Mas, pelo jeito, a coisa ainda vai demorar. Por isso a gente vai atualizando aqui sempre que achar os temas pertinentes.

Até a próxima.

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB