Vereador sugere isenção do ICMS do óleo do transporte coletivo

O vereador João Marcos Luz (MDB) em sua fala na sessão online da Câmara Municipal nesta terça-feira, 14 de abril, sugeriu ao governador Gladson Cameli a isenção do ICMS do diesel do transporte coletivo por temer demissões em massa devido à crise econômica causada pelo coronavírus, na qual ocorreu evasão nos ônibus após o pedido para as pessoas ficarem em casa. De acordo com o emedebista, a operação é fixa, desta forma, o Sistema de Transporte Coletivo é prejudicado pela pouca circulação de usuários.

“Quero aqui fazer uma sugestão ao governador Gladson Cameli. Governador, veja a possibilidade, pelo menos neste período, de isentar o ICMS do óleo do transporte coletivo, porque isso seria uma medida prática que ajudaria a operação. A operação é fixa. O custo é fixo. O Ônibus tem que sair e circular. Se ele vai pegar passageiro ou não, ele tem que fazer a viagem. Nós temos que olhar o macro, temos que olhar o todo, temos que ter uma visão geral das coisas. Estou muito preocupado com o Sistema de Transporte Coletivo. Tenho receio do que pode acontecer. Temo demissão, temo que as empresas quebrem e temo, principalmente, que o direito de ir e vir do cidadão, não seja garantido”, destacou.

Luz afirmou que a população trabalhadora é a maior prejudicada com os decretos do Governo e da Prefeitura.

“A população de Rio Branco passava trinta minutos esperando ônibus, mas agora não passa mais trinta minutos, agora é uma hora esperando o ônibus. Não é só no Tancredo Neves, é em Rio Branco inteiro. Os salários dos motoristas, dos mecânicos e da área administrativa estão atrasados. Foi dado férias para muita gente e, eu, temo uma demissão em massa no Sistema de Transporte Coletivo. A evasão ela é notória e acontece por diversas razões. E agora principalmente porque as pessoas têm que ficar em casa.  Portanto, não é possível falar de desenvolvimento social e econômico sem falar em transporte. Transporte coletivo é o direito de ir e vir da minoria, das pessoas que não têm condições de ter uma moto e que não tem condições de ter um carro. Portanto, transporte coletivo é prioridade. Dentre as medidas que vi da Prefeitura de Rio Branco, não vi nenhuma medida em relação ao transporte coletivo”, finalizou.

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB