Sindmed repudia falta de estrutura para atender casos suspeitos de coronavírus

O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed) emitiu nota nesta quinta-feira (9) contra a falta de estrutura no atendimento a casos suspeitos de coronavírus na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Sobral. A entidade afirma ainda haver a necessidade de revisão dos protocolos do Serviço Móvel de Urgência (Samu) para que, nestes tempos de pandemia, o transporte de casos suspeitos do Covid-19 seja feito de maneira segura, evitando-se a contaminação de outras pessoas.

Segundo o texto, reclamações semelhantes têm apontado outras unidades de saúde do estado como deficientes no atendimento aos pacientes. O sindicato também cobra a entrega de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os servidores da saúde.

A mensagem foi divulgada pela assessoria do Sindmed após denúncia de que uma mulher com sintomas de Covid-19 teria procurado a UPA da Sobral e orientada a procurar a UPA do Segundo Distrito.

Sem que houvesse preocupação com o deslocamento da paciente ao outro lado da cidade, ela pegou um ônibus e acabou tendo que ser resgatada no Terminal Urbano, onde se deitou após vomitar.

Foi preciso que a Polícia Militar acionasse uma ambulância do Samu para levá-la até o Pronto Socorro do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb).

Leia a seguir a nota do Sindmed:

Nota de Repúdio

A Diretoria do Sindicato dos Médicos do Estado do Acre (Sindmed-AC) repudia a falta de estrutura para o atendimento de casos suspeitos por coronavírus na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Sobral, como a ausência de testes rápidos e a falta de uma ambulância para o encaminhamento de todos os pacientes para a unidade de referência, a UPA do Segundo Distrito. Se faz necessário ainda o alerta para a revisão dos protocolos do Serviço Móvel de Urgência (Samu) para que, em tempos de pandemia, haja maior atenção no apoio ao transporte, de maneira segura, de casos suspeitos do Covid-19, evitando a contaminação de outras pessoas.

Os representantes desta entidade ainda alertam que existem reclamações semelhantes em outras unidades de saúde, além da falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os primeiros atendimentos.

Os membros deste Sindicato já reivindicaram e continuarão a reivindicar da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) a necessidade de oferecer suporte para a proteção dos servidores, buscando evitar a propagação do vírus entre os próprios trabalhadores, o que resultaria em baixa na quantidade de profissionais e a consequente fila de espera para diagnóstico e tratamento.

A Diretoria do Sindmed-AC continua orientando os médicos para denunciarem os problemas encontrados nas unidades de saúde para que o setor jurídico da entidade possa atuar.

A Direção do Sindmed-AC

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB