Rede integra lista de ‘partidos sem voto’ com direito a R$ 43 milhões do Fundão

A Rede Sustentabilidade, da ex-ministra Marina Silva, terá direito a R$ 20,4 milhões, oriundos dos cofres públicos, para as eleições municipais deste ano. A sigla integra a lista de dez ‘partidos sem voto’ que terão direito a R$ 43 milhões do chamado Fundo Eleitoral. A informação foi divulgada esta semana pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Como outras nove siglas, a Rede não obteve o mínimo de 1,5% dos votos nacionais para deputado federal nas eleições de 2018, entre outras exigências.

Em um primeiro momento, o PCdoB da deputada federal Perpétua Almeida também integrava esse elenco, mas acabou por se fundir ao PPL, o que fez com que o partido batesse a meta. Outras quatro siglas usaram do mesmo artifício.     

Além da Rede de Marina Silva, os outros novo partidos menores que terão direito a fatias do fundo são: PMN, PTC, DC, PRTB, PSTU, PCB, PCO, PMB e UP.

Na ponta oposta estão PT e PSL, com direito a valores que, somados, batem a casa dos R$ 400 milhões.  

Até a publicação desta matéria, a reportagem do oacreagora.com não conseguiu contato com os representantes da Rede Sustentabilidade no Acre.

Com informações da Folha de S.Paulo

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB