Propagador de fake news

Foram cinco dias de muita lengalenga sobre a saída do governador Gladson Cameli do seu partido, o Progressistas. Uma hora se lia na imprensa que ele estava de saída, malas prontas, para no dia seguinte a prosa mudar de rumo: não, Gladson ficaria na sigla, já que o ambiente estaria apaziguado.  

O furdunço teve início na última quarta-feira (15), quando Gladson declarou guerra aos seus correligionários, após desmentir apoio a Tião Bocalom. E teve sua apoteose nesta terça-feira (21), com a sua estarrecedora declaração de que nunca havia falado em deixar o Progressistas. Entre a quarta-feira passada e esta terça, a imprensa transbordou de fake news, a maioria delas com origem no próprio governador do Acre.

Eis o critério do nosso representante maior: ele recorre aos jornais para passar os recados que lhe convém e depois diz que a imprensa mente ou inventa notícias. E então se consuma o mais espantoso silêncio entre os jornalistas.

Desde que iniciou esse cabo de guerra com os correligionários, este site assumiu como critério não divulgar a versão oficial. Por saber que ela mudaria ao sabor das conveniências do governador. Gladson não é – e nem nunca será – uma fonte confiável.

Mas o problema não reside no governador como fonte dos jornais de sua preferência. A questão fundamental é se podemos confiar em sua palavra quando estão em jogo os mais importantes assuntos de Estado.

Partiu do presidente da executiva municipal do Progressistas, Reginaldo Ferreira, os conceitos que tentam definir a personalidade do governador. Em áudio vazado, disse Reginaldo o seguinte: “O Gladson não passa de uma criança no corpo de um homem. A psicologia chama isso de crianças eternas. Com a fama dele de riquinho, embora eu não costume ver o dinheiro do Gladson. Esse tempo todo eu nunca vi o dinheiro do Gladson”.

Mas foi a mãe de Cameli, dona Linda, quem deu a pista mais importante sobre a personalidade do filho. Em resposta à matéria publicada no Instagram do site Notícias da Hora, ela escreveu: “Não viu e nunca vai ver o dinheiro do pai do Gladson. São umas cobras venenosas prontas pra dar o bote a qualquer hora”.

Não é a primeira vez que dona Linda sai em defesa do filho nas redes sociais. E nem será a última – anote aí.

A psicologia ensina que pais muito controladores fazem dos filhos pessoas teimosas na idade adulta. A teimosia é o mecanismo de defesa que as crianças adotam para escapar da vontade de seus superprotetores. Quando crescem, elas, mesmo se livrando dos pais, acabam virando reféns dos próprios caprichos.    

A política sempre foi um objeto de estudo das Ciências Sociais. Com a chegada de Gladson ao poder, convém que ela, doravante, seja investigada no campo da psicanálise.  

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB