Prefeitura de RB desmente compra superfaturada de álcool em gel

Nos últimos dias circularam nos grupos do aplicativo WhatsApp imagens de uma compra feita pela Secretaria Muncipal de Saúde da capital que aponta suposto superfaturamento de preço em compra de álcool em gel. A diretoria de Comunicação da prefeitura encaminhou aos jornais a seguinte nota à imprensa na manhã desta sexta-feira (8):

A respeito da falsa denúncia de superfaturamento no preço do litro de álcool em gel 70% adquirido pela Secretaria Municipal de Saúde, cumpre-nos informar que:

1 – Ao tomar conhecimento de que circulava em redes sociais a referida denúncia, a prefeita solicitou à Controladoria Geral do Município que realizasse a devida apuração, o que foi feito de pronto.

2 – A aquisição de álcool em gel 70% foi realizada na segunda quinzena de março, no momento em que o país todo ressentia-se da falta dos insumos necessários à proteção dos profissionais de saúde, à medida em que, com a pandemia do novo coronavírus, houve uma procura muito superior de álcool em gel 70% do que a capacidade de produção das indústrias brasileiras.

3 – Para refrescar a memória sobre um contexto tão recente, sugerimos a leitura de uma matéria de um site de notícias, do dia 15/03/2020, apontando de que o preço médio de 500 ml de álcool em gel 70% estava em torno de R$40,00, o que daria R$80,00 o litro. Nesse caso, o preço adquirido pela Secretaria Municipal de Saúde foi bem melhor.

Veja aqui

4 – A Prefeitura precisava desse produto, além de máscaras e luvas, para fornecer aos profissionais de saúde e manter as unidades de saúde e outros serviços essenciais funcionando. Nossos profissionais de saúde precisavam e exigiam a imediata aquisição desses EPIs.

5 – O procedimento de “dispensa de licitação” foi realizado, por meio de cotação de preços com as empresas que garantiam a entrega no prazo necessário. Era isso que a situação exigia naquele momento e foi isso que a gestão municipal fez.

6 – O processo encontra-se disponível no Portal de Transparência, como exige a legislação e tem sido prática da gestão municipal.

7 – Não dá para comparar o preço do litro de álcool em gel comprado no início da pandemia, com o preço praticado hoje, quando a produção e a procura já está sendo equilibrada. Essa é uma tentativa torpe e vergonhosa de tentar desqualificar o trabalho dos que estão, dia e noite, empenhados em minimizar os danos da crise em nossa cidade, por interesse meramente eleitoral.

Diretoria de Comunicação

Prefeitura de Rio Branco

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB