Petrobras investirá na refinaria de Paulínia para produzir mais diesel


source
Petrobras investirá na refinaria de Paulínia para produção de diesel
Agência Brasil

Petrobras investirá na refinaria de Paulínia para produção de diesel

A Petrobras vai investir, em cojunto com as empresas Toyo e TSE, US$ 458 milhões (cerca de R$ 2,354 bilhões) na ampliação da Refinaria de Paulínia (Replan), em São Paulo, para produzir diesel, cujos preços estão em alta.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

O investimento ocorre em um momento em que a Petrobras negocia com o Cade, que regula a concorrência no Brasil, a ampliação do prazo para vender parte de suas refinarias.

Além disso, as refinarias da Petrobras estão operando a plena capacidade, com índices próximos a 90%. Hoje, o país precisa importar cerca de 30% para poder atender a demanda de diesel.

A Replan é a maior refinaria do Brasil em capacidade de processamento, com carga de 434 mil barris por dia – cerca de um quarto do total produzido, de 1,7 milhão de barris por dia. Além de óleo diesel, a refinaria produz gasolina, querosene de aviação, asfaltos, GLP (gás de botijão) e propeno, dentre outros derivados de petróleo.

Segundo a estatal, será construída uma nova unidade de hidrotratamento de diesel (HDT) na Replan. A entrada em operação da planta está prevista para 2025.

Assim, a  Replan será capaz de aumentar a sua produção de diesel S-10 (com baixo teor de enxofre) em 63 mil barris por dia e de querosene de aviação em 12,5 mil por dia. A Petrobras disse que a ampliação visa , “visando “o atendimento das especificações e quantidades demandadas pelo mercado”.

O investimento faz parte, disse a estatal, do plano de negócios, que prevê US$ 6,1 bilhões em refino. Os últimos grandes investimentos no setor feitos pela Petrobras foram em projetos polêmicos como o então Comperj, no Rio, e a Rnest, em Pernambuco.

Em 2014, executivos do grupo Toyo Setal  detalharam, em acordo dentro do âmbito da operação Lava-Jato, ao Ministério Público Federal um suposto pagamento de propina a pessoas apontadas como operadoras de partidos políticos dentro da Petrobras e também como funcionaria o cartel criado para as licitações da estatal na época.

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB