‘Nem vai andar’, diz Mourão sobre CPI da Petrobras


source
Mourão ignora pressão feita por Bolsonaro e Lira na estatal sobre alta de preços
O Antagonista

Mourão ignora pressão feita por Bolsonaro e Lira na estatal sobre alta de preços

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira (20) que uma  Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os reajustes da Petrobras no preço dos combustíveis e sobretaxar  lucros da companhia “nem vai andar”. Mourão afirmou que não há tempo para a articulação de deputados e senadores porque o país está entrando em “fase eleitoral”.

“CPI eu acho que não vai nem andar isso aí, não tem nem tempo. Estamos entrando quase em fase eleitoral, vamos falar assim, mais um mês e meio inicia a campanha eleitoral, acho difícil que uma CPI vá andar nesse momento.”

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Enquanto os parlamentares articulam a abertura da Comissão, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), subiu o tom e centrou fogo na diretoria da estatal . Chamou o atual presidente da empresa, José Mauro Coelho, de “ilegítimo”, e ameaçou levantar informações sobre ganhos e despesas dos diretores. Mourão disse nesta segunda-feira (20) que isso era uma questão de “opinião”. 

“Isso aí tem que ser votado no Conselho de Administração, não é desse jeito. Isso tudo são opiniões”, afirmou.

José Mauro Coelho pediu demissão do cargo no início da manhã desta segunda-feira (20) , e também renunciou à presidência do Conselho de Administração da estatal. Caio Paes de Andrade , nome de confiança do ministro da Economia Paulo Guedes e defendido por Jair Bolsonaro, deve assumir interinamente o comando da Petrobras, segundo fontes.

O Conselho da Petrobras vai se reunir nesta segunda-feira (20) para destituir formalmente Coelho do colegiado e debater a indicação de Paes de Andrade para o órgão. Em seguida, este deve ser eleito interinamente presidente da companhia.

A decisão de José Mauro ocorre após forte pressão sobre ele e a diretoria da empresa, que anunciou um reajuste no preço dos combustíveis na semana passada.

A pressão contra a empresa por conta do reajuste no preço dos combustíveis anunciado pela Petrobras na sexta-feira, ignorando apelos do presidente Jair Bolsonaro e do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), será ampliada e intensificada hoje numa ofensiva capitaneada pelo Centrão, o grupo de partidos que sustenta o governo na Câmara.

Deputados e senadores articulam a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a Petrobras e projetos para mudar a política de preços da estatal e elevar impostos sobre a produção e exportação de petróleo.

O presidente da Câmara recebe, no início da tarde desta segunda, líderes dos partidos na Câmara para definir quais projetos serão colocados em votação. A reunião de terça foi antecipada após o  reajuste de 5,18% no litro da gasolina e de 14,26% no do diesel aplicado nas refinarias da Petrobras desde sábado irritar Bolsonaro, Lira, ministros do governo e parlamentares.

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB