Lava Jato manda prender ex-ministro de Lula por desvios na Eletronuclear

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (25) uma operação que investiga fraudes em contratos da Eletronuclear, em um desdobramento da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro. Um dos alvos é o ex-ministro do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Silas Rondeau (MDB), que comandou a pasta de Minas e Energia entre 2005 e 2007.

Agentes da PF cumprem 18 mandados de busca e apreensão e doze de prisão temporária, expedidos pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do RJ, no Rio de Janeiro (capital, Niterói e Petrópolis), São Paulo (capital e Barueri) e no Distrito Federal. De acordo com a PF, a Operação Fiat Lux foi baseada na delação premiada de dois lobistas, Jorge Luz e Bruno Luz, que foram presos em 2017, por ordem do então juiz federal Sergio Moro.

Ainda de acordo com a PF, “o esquema investigado é mais uma etapa que visa atingir os responsáveis por contratos fraudulentos e pagamento de propina na empresa, que não foram abrangidos pelas operações Radioatividade, Irmandade, Prypiat e Descontaminação, todas deflagradas para a execução de mandados em desfavor dos personagens envolvidos na organização criminosa”.

A Lava Jato também pediu o sequestro dos bens dos envolvidos nos desvios e de suas empresas pelos danos materiais e morais causados no valor de mais de 207 milhões de reais. Até a publicação desta reportagem, Rondeau não havia sido localizado pelos agentes da PF.

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB