Estudante abandona curso de moda para embalsamar cadáveres


source
Rachel Carline era estudante de moda e optou por trabalhar em uma funerária
Reprodução/Instagram 18.06.2022

Rachel Carline era estudante de moda e optou por trabalhar em uma funerária

Trocar de profissão em algum momento da vida é algo completamente comum na vida das pessoas, mas a britânica Rachel Carline, de 32 anos, foi além: ela decidiu abandonar o curso de moda na cidade de Rochdale, ao nordeste da Inglaterra, para trabalhar como embalsamadora de cadáveres em uma funerária.

A virada na vida de Rachel aconteceu aos 20 anos de idade, mas ela lembra que a primeira vez que pensou na possibilidade de entrar nessa profissão foi com apenas sete anos, quando viu sua avó paterna dentro de um caixão e ficou preocupada que ela “não parecia tão bem” ali. Ela procurou um como embalsamadora escrevendo cartas para funerárias antes de conseguir um cargo administrativo em uma empresa.

“Embora seja difícil e emocionante, também me sinto honrada por estar nesta posição”, disse Rachel em entrevista ao Metro.uk. “Me sentir assim me leva a ter certeza de que farei tudo o que estiver ao meu alcance para apoiar as famílias em um momento muito difícil”, se orgulha.

Especialista no assunto, ela foi a responsável por embalsamar algumas das vítimas do terror na Manchester Arena, atentado terrorista que ocorreu em 2017, no Reino Unido, em que um homem bomba acionou duas explosões no exterior do estádio após um show da cantora pop norte-americana Ariana Grande. 

Rachel já cuidou de milhares de corpos, inclusive de seu avô Dave Phillips, que morreu aos 76 anos, em 2015, vítima de um câncer de esôfago. Ela conta que, quando o avô ficou doente, Dave piorou, perdeu muito peso e ficou muito frágil.

“Eu cuidei dele e passei muito tempo com ele em suas últimas semanas. Não importa quem seja, eu embalsamei todos como se fossem amigos ou parentes próximos, então o aspecto técnico do procedimento de embalsamamento não pareceu tão diferente. Eu estava muito envolvida em cuidar dele quando ele estava doente em casa, então parecia que a coisa mais natural a fazer era continuar cuidando dele depois que ele morresse”, explicou.

“Fiquei arrasada quando ele morreu. Mas também senti que tinha um tempo extra com ele que ninguém mais teria. Foi uma honra saber que eu faria a última coisa que alguém faria por ele”, confessou.

O embalsamamento é o processo de preservar um corpo e restaurar a aparência física do falecido, retardando os efeitos naturais da morte. Para que isso acontece, a profissional precisa fazer injeções de soluções químicas nas artérias, tecidos e às vezes órgãos e a drenagem dos fluidos do falecido para retardar a decomposição e dar uma aparência mais pacífica ao cadáver.

“Muitas pessoas pensam que o embalsamamento é apenas fazer cabelo e maquiagem ou preservar o corpo, mas é muito mais. É anatomia, matemática e química. Para calcular a quantidade de fluidos que você precisa, como formaldeído, água e corantes, você precisa saber quanto pesa o corpo, quanto tempo passou desde que a pessoa morreu, quanto tempo até o funeral, além de muitos outros fatores. Mas nós sempre os vemos como uma pessoa inteira, não uma equação.”

Rachel Carline é casada com Simon com quem tem uma filha
Reprodução/Instagram 18.06.2022

Rachel Carline é casada com Simon com quem tem uma filha
Fonte: IG Mulher

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB