Enquanto Gladson e Socorro trabalham para conter pandemia, vereador fala bobagens

Calado é um poeta

O vereador João Marcos Luz tem me feito lembrar o ex-craque Romário, que certa vez ao responder em uma entrevista uma crítica do rei Pelé, saiu-se com essa: “o Pelé calado é um poeta”. Como fala besteira o nobre vereador.

Tiros a esmo

João Marcos no afã de se reeleger, só tem agido de forma política durante a pandemia do novo coronavírus. Atirou para todos os lados e em quem apareceu pela frente. Mas ao que tudo indica, não acertou em ninguém a não ser em seu próprio pé.

Primeiro alvo

Assim que assumiu a vaga deixada por Roberto Duarte Jr, quando este venceu a eleição para deputado estadual, João Marcos Luz destilou ódio e mau humor para cima do líder da prefeita na Câmara Municipal, vereador Rodrigo Forneck (PT).

Língua ferina

Seu esporte favorito nos primeiros meses de mandato era contestar e criticar absolutamente tudo que vinha do poder executivo. A prefeita Socorro Neri foi a principal vítima dos ataques   diários do jovem vereador.

Enfadonho 

O parlamentar acredita que fazer oposição é atacar sistematicamente tudo o que vem do executivo. E com isso se tornou pouco produtivo e enfadonho.

Até correligionário

Até o histórico emedebista, Tancremildo Maia, ao ver a apologia frenética que o vereador faz para que as pessoas não respeitem a quarentena, não aguentou e criticou Luz em suas redes sociais.

Política (gem)

Quando a vereadora Lene Petecão (PSD) apresentou na Câmara Municipal, moção de congratulação ao médico infectologista Thor Dantas, pelos serviços prestados à população acreana durante a pandemia, Luz foi o único vereador que votou contra.

Pasmem

E quando confrontado do porquê de sua defesa para que as pessoas fossem às ruas e levassem vida normal, o vereador respondeu da seguinte forma: “em uma guerra preservamos as crianças e idosos, os demais precisam ir para o combate”.

Mudança

A única coisa que parece ter mudado da noite para o dia na postura do vereador, foi a sua opinião sobre o governador Gladson Cameli. Antes do quase rompimento oficial do MDB com o governo, Luz era só elogios ao governador. Agora parece até que o parlamentar esqueceu o seu alvo principal ate então: a prefeita Socorro Neri. Se o governador disser que grama é verde ele afirma que é azul. Eu heim…

Foto: internet

Por falar em Gladson

Este colunista elogiou o comportamento do governador Gladson Cameli no começo da pandemia e o faz novamente agora. O governador ao lado da prefeita Socorro Neri, está trabalhando incansavelmente e deixou de lado a política para cuidar da prevenção e combate ao Covid-19.

Triste

A capa do jornal carioca Extra desta segunda-feira (4) trouxe estampada a mais cristalina constatação do que estamos presenciando no Brasil. No dia em que o país ultrapassou os 100 mil infectados e as 7 mil mortes por coronavirus, o presidente Bolsonaro mais uma vez sem máscara, sorridente e pegando criança no colo – a mais característica prática populista – compareceu a um movimento que pedia o fechamento do STF e a intervenção militar.

Jornal Extra de 04/05/2020

Por falar em Bolsonaro

O presidente, impedido pelo STF de nomear o amigo do seu filho como diretor da Polícia Federal (PF), nomeou o seu braço direito. E a primeira atitude do novo diretor foi trocar o comando da PF no Rio de Janeiro. Exatamente onde as investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco e o caso do porteiro estavam. Para os fanáticos eleitores do presidente, tudo normal.

Colecionando “inimigos da pátria”

O reativo presidente e seus filhos transloucados colecionam inimigos com uma velocidade incrível. E o que mais chama atenção é que a maioria destes eram apoiadores do governo até pouquíssimo tempo atrás. Dória, Witzel, Janaína Pascoal, Joice Hasselmann, Ronaldo Caiado, Rodrigo Maia, Mandetta e agora Moro. Todos eram aliados e se transformaram da noite para o dia em “inimigos do Brasil”. Para seus fiéis seguidores, todos estes são traidores da pátria  e só Bolsonaro e quem o aplaude amam o Brasil.

Nelson Rodrigues

O escritor e dramaturgo Nelson Rodrigues escreveu certa vez que “Os idiotas vão tomar conta do mundo; não pela capacidade, mas pela quantidade. Eles são muitos”.

 Para reflexão

Nada mais cretino e mais cretinizante do que a paixão política. É a única paixão sem grandeza, a única que é capaz de imbecilizar o homem. (Nelson Rodrigues)

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB