Cramulhão de ‘Pantanal’ esteve em novelas de Benedito; conheça lenda


source

Gabriel Sater, intérprete de Trindade em ‘Pantanal’, da TV GLOBO, tem ganhado destaque na trama por conta de sua relação com o cramulhão, que o leva a fazer premonições e ter até uma viola enfeitiçada. Mas não é a primeira vez que o pacto com o demônio tem papel fundamental nas histórias. No remake da novela, ele se apaixona por Irma (Camila Morgado) e diz que seu coração só poderá ser libertado do trato que fez com o diabo se ele o entregar a uma mulher “com cara cara de anja” que atravessa seu caminho.

Cramulhão também é conhecido como Diabinho da Garrafa, Famaliá e Capeta da Garrafa, entre outros nomes. Ele está sempre envolvido em um pacto que é firmado com alguém em troca de algo, pacto este que resulta no aprisionamento da alma e do coração de quem pede.

Outra trama, também de Benedito Ruy Barbosa, explorou bem o tema. Em ‘Paraíso’, de 1982, o peão José Eleutério, interpretado por Kadu Moliterno, era conhecido como Filho do Diabo e se apaixona pela Santinha vivida por Cristina Mullins, vivendo um amor proibido. Segundo a lenda local, Eleutério (Cláudio Corrêa e Castro), o pai do peão, criava um diabinho numa garrafa, o que lhe dava poderes.

Assim como ‘Pantanal’, a novela teve um remake, em 2009, com adaptação das filhas do autor. E a história permaneceu em cena. Eriberto Leão ganhou o papel que era de Kadu Moliterno e Reginaldo Faria interpretou o seu pai. A trama teve direito a diabinho dentro da garrafa literalmente.

Em 1993, outra novela do mesmo autor embarcou na mesma lenda. Em Renascer, o coronel José Inocêncio (Antônio Fagundes), tinha um diabinho na garrafa e a isso era atribuído seu poder, sua riqueza e seu corpo fechado. Na trama, o personagem Tião Galinha, interpretado por Osmar Prado, que faz o Velho do Rio no remake de ‘Pantanal’, vai até José Inocêncio para ter dicas de como criar seu próprio diabinho.

Entenda o que é cramulhão

Diz a lenda que, feito o tal pacto com o diabo, a pessoa que quer a graça tem que conseguir um ovo, do qual nascerá um diabinho de 15 a 20 centímetros. Mas tem que ser um ovo fecundado pelo próprio diabo. Em algumas Regiões do Brasil, acredita-se que ele pode nascer de uma galinha fecundada pelo diabo; em outras, que seria colocado por um galo, e não por um galinha. Em tempo: ele seria do tamanho de um ovo de codorna.

Conseguir o ovo que vai gerar o cramulhão já seria uma saga. A pessoa tem que procurar durante o período da Quaresma e, na primeira sexta-feira após estar de posse dele, ir até uma encruzilhada, à meia-noite, com o ovo embaixo do braço esquerdo. Após 40 dias, ele é chocado e nascerá o diabinho. É aí que ele entra na garrafa, onde fica bem fechado.

Fonte: IG GENTE

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB