Carrefour: Bittar lamenta crime e também movimento para ‘dividir o país’

O senador Marcio Bittar (MDB-AC) postou um vídeo na rede social neste domingo (22) em que criticou o movimento criado em torno da morte de João Alberto Silveira Freitas, ocorrida na última quinta (19), no Carrefour em Porto Alegre. Para Bittar, o crime foi chocante, mas não pode ser usado como ‘ferramenta daqueles que querem colocar uns contra os outros permanentemente’.

“Vamos com calma. A própria delegada que está apurando o caso já deu indícios de que ali não foi um crime de racismo. Podia ser um branco, podia ser uma mulher, podia ser um jovem ou um idoso”.

Em seguida, ele lamentou a morte de João Alberto, ‘um pai de família que deixa esposa e filhos ainda muito jovens’.

“Mas esse tipo de movimento mais divide o país que unifica”, concluiu.

Delegada descarta racismo como motivação

A delegada Roberta Bertoldo, da 2ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Porto Alegre, responsável pela investigação, disse ao jornal Folha de S.Paulo que não se trata de racismo.

João Alberto aparece em um vídeo de segurança sendo acompanhado por dois seguranças até a saída do Carrefour. As imagens mostram o momento em que ele dá um murro em um deles.

A agressão foi revidada e João Alberto acabou morto por asfixia. Os responsáveis foram presos em flagrante pela Polícia Militar.   

Assista ao vídeo do senador:

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB