Bolsonaro diz que divulgação de reunião na íntegra seria constrangedor

Se sentindo acuado com a possibilidade do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Melo, decidir na tarde de hoje (22) pela divulgação na íntegra do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril, onde segundo o ex-ministro da justiça, Sérgio Moro, o presidente teria tentado interferir nas nomeações da Polícia Federal (PF) no intuito de proteger sua família de investigações, Bolsonaro declarou nesta quinta-feira (21) que tornar público o conteúdo completo do vídeo seria um “constrangimento”.

“Vão perder amanhã, estou adiantando a decisão do ministro Celso de Mello. Não tem nada, nenhum indício, de que porventura eu interferi na Polícia Federal naquelas duas horas de fita. Mas eu só peço, não divulguem a fita toda”, disse.

“Tudo que eu falei pode ser divulgado, exceto duas pequenas passagens, de 15 segundos cada uma, que a gente fala de política internacional e uma coisa, no meu entender, de segurança nacional e, obviamente, o que os ministros falaram, como não tem nada a ver com o inquérito, que não tornasse público, porque é um constrangimento… ficamos na informalidade, você brinca um com o outro, sai um palavrão… não é o caso de tornar público isso”, finalizou. 

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB