Amnésia política faz Zen esquecer passado recente e alfinetar Ney, Bocalom e Socorro

Mãe ou madrasta

O deputado estadual Daniel Zen (PT) usou suas redes sociais no domingo das mães (10) para alfinetar possíveis adversários do Partido dos Trabalhadores na disputa pela prefeitura de Rio Branco. De acordo com o deputado petista, o partido tem sido “verdadeira mãe” para algumas figuras políticas no estado que hoje se apresentam como possíveis adversários da sigla. São eles: Minoru Kimpara, Tião Bocalom, Ney Amorim e a prefeita Socorro Neri. Zen se refere ao fato de que os três, já tenham no passado, sido filiado ou assumido cargos públicos pela “generosidade petista”. É sabido que em ano de eleição tudo que estiver abaixo do pescoço é canela. Mas ao que tudo indica, o orégano venceu ou o deputado petista acredita que os acreanos são bobos e ingênuos além da conta. Especificamente para os nomes citados por Daniel Zen, fica no ar a dúvida se o PT foi mãe generosa ou madrasta má.

Minoru Kimpara

O ex-reitor da Ufac já foi presidente do PT e militante aguerrido do partido. Mas se desfiliou  em 2017 e concorreu a uma vaga para o senado nas eleições do ano seguinte pela Rede Sustentabilidade. Kimpara obteve 112.989 votos e ficou em quinto lugar. Atrás dos eleitos Petecão (PSD) e Marcio Bittar (MDB) e dos petistas Jorge Viana e Ney Amorim.  Depois da derrota nas urnas, kimpara migrou para o PSDB, com direito a festa de filiação, onde o seu nome fora lançado como pré-candidato a prefeito da capital. Podemos até afirmar que falta – ao agora tucano – Minoru kimpara, identidade ideológica. Mas dizer que o PT foi para ele “uma mãe”, só mesmo na cabeça do Zen.

Tião Bocalom

O ex-prefeito de Acrelândia foi secretário de Agricultura no primeiro governo de Jorge Viana, momento em que rompeu politicamente com o Partido dos Trabalhadores. Desde então, tem sido um dos maiores opositores dos governos petistas no estado. Concorreu contra o PT nas eleições de 2006, 2008, 2010, 2014 e 2018. Definitivamente para ele o PT não foi uma mãe, como afirmou Daniel Zen.

Ney Amorim

Filho do ex-vereador Josué Amorim – que teve vários mandatos pelo Partido dos Trabalhadores – Ney antes de assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) fora eleito primeiro suplente de vereador e de deputado estadual respectivamente. Em 2014 obteve 10.213 votos, se elegendo como o deputado mais bem votado da história do acre até então, e com isso, sendo o puxador de votos da sigla naquela eleição. Quando presidente do parlamento estadual, Ney Amorim contemplou vários companheiros de partido nos cargos comissionados do Legislativo. Após a derrota para o senado em 2018 passou a ser “persona non grata” para alguns correligionários.

Socorro Neri

A professora Socorro Neri foi pré-candidata a prefeitura de Rio Branco pelo PSDB em 2016, quando problemas internos no partido a fizeram desistir da disputa e pedir a sua desfiliação.  Neri então fora convidada para ser a vice na chapa encabeçada pelo prefeito Marcos Alexandre, que disputaria a reeleição. Os petistas de alto escalão entenderam à época, que ela emprestaria a candidatura petista serenidade e credibilidade. Credibilidade esta que já andava bastante comprometida, após sucessivos escândalos nos governos petistas do Brasil e do Acre. E assim, Socorro ajudou o PT a vencer a eleição e se manteve fiel à administração de Marcos Alexandre até este renunciar o cargo para disputar a vaga de governador na eleição de 2018. Mais até: em um exemplo de dignidade política, Socorro manteve os principais assessores escolhidos por Alexandre até este perder a eleição em outubro. A atual prefeita de Rio Branco ajudou o PT a vencer a eleição e a administrar a cidade. Mas o deputado Daniel Zen não consegue enxergar tal feito. Ou até consegue, mas a disputa eleitoral e o desespero de ver o seu partido cada vez mais sem opção atraente à população de Rio Branco, faz ele “acreditar” que o PT tenha sido uma mãe para Socorro Neri.

Colapso

O governador Gladson Cameli se pronunciou nesta segunda-feira (11) sobre os novos casos de coronavírus no estado. Segundo ele, “O alerta vermelho chegou ao Acre”.

Rodízio

Uma edição extraordinária do Diário oficial deverá ser publicada ainda hoje (11) anunciando o rodízio de veículos nas ruas e o fechamento de algumas avenidas.

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB