Ainda não se sabe o que será pior: o coronavírus ou a recessão

Pânico no ar

A decisão do governador Gladson Cameli (Progressistas) de determinar o cerramento das portas do shopping, lojas, bares e academias – ainda que necessária e recorrente nos demais estados da federação – terá grande impacto sobre a economia local.

Previsão

A Associação Comercial do Acre (Acisa) previa, antes mesmo do decreto de Cameli, ameaça de desabastecimento e de colapso na economia acreana.

Corda bamba

Ontem, sexta-feira (20), os presidentes da Acisa, da Associação de Supermercados do Acre (ASA) e dos Distribuidores e Atacadistas do Acre (Adacre) – Celestino Oliveira, Adem Araújo e Fabrízio José dos Santos, respectivamente – se reuniram com membros da promotoria do Direito do Consumidor do Ministério Público do Acre. Estavam em busca de orientações sobre como proceder para evitar a propagação do coronavírus.       

Perigos à vista

Os empresários, óbvio, não querem infringir as leis, ao mesmo tempo em que se preocupam com o perigo de ‘blecaute’ na economia.

Praticidade

Dessa reunião saiu a medida, por parte do MP, que limita a venda, por consumidor, de alguns itens essenciais neste momento, a exemplo do álcool em gel.

Contramão

Se há, porém, empresários dedicados a manter seus empreendimentos de pé, submetidos que estão às regras emanadas dos poderes públicos, existem também aqueles que se aproveitam do momento para explorar os consumidores. E outros que estão pouco se lixando para a determinação de fechar seus estabelecimentos.

Malandragem política

Nesse aspecto, o governo do Sr. Gladson Cameli também age de forma sub-reptícia ao declarar, por exemplo, corte de 50% das despesas nos órgãos públicos da administração estatal.

Foto: reprodução

Como é que é?

Ora, se os órgãos públicos já receberam ordem para manter apenas os serviços essenciais, despachando-se para quarentena a maior parte dos seus servidores, a economia será mera decorrência da medida. Gladson, nesse aspecto, tenta nos fazer de tontos.

É de doer  

Melhor seria se o governo adotasse medidas de real eficácia para conter a gastança que o atual gestor tanto criticou nos antecessores políticos. O grande sumidouro de recursos públicos continua a ser a folha de pagamento estatal, inflada pela existência de centenas de aspones, cujos proventos, nos próximos meses, serão garantidos a despeito da quebradeira geral.       

Deem exemplo, excelências!

Se todos fazemos esforços para conter o avanço da Covid, e a maioria de nós arcará com as consequências da pandemia, seria de bom alvitre que algumas denodadas autoridades começassem por dar exemplo. Falo dos parlamentares que atuam a portas fechadas para emplacar seus apaniguados no governo e de políticos abastados que não abrem mão de suas aposentadorias vitalícias.

US$ 1 trilhão

Os cálculos da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad) são de que a Covid-19 deve custar 1 trilhão de dólares à economia global neste ano. 

Foto: internet

Superinteressante

É muito interessante notar que o governo federal tem meios para injetar, nos próximos 90 dias, R$ 15 bilhões na economia, a fim de assistir os trabalhadores do mercado informal – alguns dos mais atingidos pelas medidas anticoronavírus.

Pra terminar

E quanto a nós, acreanos? Qual medida será adotada, no futuro próximo, para resgatar parte das perdas prenunciadas ou vividas pelos que geram emprego e renda no Acre? Até o momento, Gladson nos recomendou ‘lavar bem as mãos’, concedeu coletiva de imprensa e assinou decretos. Mas a realidade é bem mais exigente que isso.    

Gostou deste artigo?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
Linkedin
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB