fbpx

Indústria 4.0: a transformação digital no Brasil

A Indústria 4.0 é o futuro dos meios de produção e, como explanado no último artigo, já se faz presente, mesmo que de forma muito tímida, nas empresas brasileiras. A transformação digital do setor é uma realidade que se aproxima e definirá o futuro dos empreendimentos nas próximas décadas. No entanto, o setor ainda engatinha em solo brasileiro em relação aos países desenvolvidos da Europa, América do Norte e até mesmo alguns emergentes da Ásia/Oriente Médio.

Para que essa realidade seja comum no cotidiano dos brasileiros, são necessários diversos esforços intensivos para agilizar as mudanças. Dentre eles é urgente o fortalecimento do Centro Afiliado para a Quarta Revolução Industrial, o C4IR Brasil. Criado em dezembro de 2020, o grupo é uma iniciativa público-privada entre o Governo Federal, o Estado de São Paulo (maior centro financeiro brasileiro e da América Latina), o Fórum Econômico Mundial e diversas áreas do setor privado.

O C4IR Brasil prepara as empresas para as inovações básicas e necessárias a partir de princípios e pilares. Como explicitado, o termo Indústria 4.0 surgiu em 2011 a partir do projeto do grupo de trabalho presidido por Siegfried Dais e Henning Kagermann para o governo alemão. Em 2012, eles apresentaram as recomendações planejando a implementação e desenvolvimento do conceito que criaram.  Para os idealizadores, existem seis princípios que caracterizam a Indústria 4.0. São eles:

1 – Tempo real

É a capacidade de coletar e tratar dados de forma instantânea, permitindo uma tomada de decisão qualificada em tempo real.

2 – Virtualização

É a proposta de uma cópia virtual das fábricas inteligentes graças a sensores espalhados em toda a planta. Assim, é possível rastrear e monitorar de forma remota todos os processos.

3 – Descentralização

Parte da ideia da própria máquina ser responsável pela tomada de decisão por conta da sua capacidade de autoajuste, avaliação das necessidades em tempo real e fornecimento de informações sobre os ciclos de trabalho.

4 – Orientação a serviços

Princípio que tem como premissa a capacidade dos softwares de disponibilizarem soluções como serviços conectados com toda a indústria.

5 – Modularidade

Permite que módulos sejam acoplados e desacoplados segundo a demanda da fábrica, oferecendo grande flexibilidade na alteração de tarefas.

6 – Interoperabilidade

Pega emprestado o conceito de internet das coisas, em que as máquinas e sistemas possam se comunicar entre si.

Como é perceptível, cada conceito tem suas particularidades. Porém, todos têm em comum o objetivo de tornar as máquinas mais eficientes. Partindo destes princípios acima, listarei algumas tecnologias que podem ser consideradas pilares de toda essa sistemática. Aqui, vou me ater a apenas 10 que estão viabilizando a quarta Revolução Industrial:

Internet das Coisas – conexão de aparelhos físicos à rede;

Big Data – armazenamento de dados em quantidade imensa;

Inteligência artificial – tomada de decisão da máquina;

Segurança – robustez nos sistemas de informação;

Computação em nuvem – servidores compartilhados;

Cobots – robôs colaborativos que desempenham tarefas difíceis;

Digital Twin – simulação, rastreamento de falhas e coleta de dados para facilitar a manutenção preventiva;

Manufatura Aditiva – impressão 3D;

Biologia Sintética – construção de novas partes biológicas;

Sistemas Cyber Físicos-CPS – integração entre máquinas e sistemas.

Esses pilares e tecnologias se manifestam na prática graças a uma série de avanços alcançados nas últimas décadas. É esse conjunto de novidades que chamamos de Indústria 4.0 ou Quarta Revolução Industrial, como falamos antes. Por isso é importante se atentar nestes novos conceitos, mantendo sempre o foco nos seus projetos e alinhando com as novas tendências de mercado. Tudo isso é caminho para se construir um futuro totalmente diferente e marcar as próximas gerações.

Sou Jebert Nascimento, empresário, advogado, administrador e contador acreano

Me acompanhe nas redes sociais e sugira temas: @jebertnascimento

Gostou deste artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
Linkedin
Share on whatsapp
WhatsApp

© COPYRIGHT O ACRE AGORA.COM – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR R&D – DESIGN GRÁFICO E WEB